6 de fevereiro de 2006

Autocrítica

Muitas vezes temos a tendência de criticar os outros, mas raramente falamos dos nossos defeitos. Estou tocando nesse assunto porque num outro texto que fiz comentando sobre o erro de um jornal, por incrível que pareça, justamente nesse texto eu também tive meu erro e o pior não percebi o texto ficou um tempão na web, até que uma pessoa do orkut me mandou uma mensagem muito atenciosa que falava mais ou menos assim: “eu não acredito que você não viu que digitou errado...................... estou rindo até agora!”, mas tudo bem pelo menos ele me mostrou onde errei. Acho que não vou mais ligar pra nada, “vou comessar a excreve achim!” rsrs, piadinha tosca! Embora fique me perguntando se quem escreve desse jeito na web, às vezes cem querer não o faz em outros lugares rsrs. Mas isso foi bom, me mostrou que não podemos criticar tanto assim os outros, ou se o fazemos devemos primeiro ver se não temos os mesmos defeitos, portanto quem tem telhado de vidro tem que se cuidar e não posso esquecer daquela estória do macaco que senta em cima do rabo pra falar mal do rabo dos outros. Eu poderia continuar citando inúmeras frases sobre o tema e aproveitar a ocasião para me criticar por estar sendo repetitivo, acho que vou fazer isso outro dia, pois faço um bom trabalho quebrando meu próprio telhado de vidro, mas sempre aparece alguém pra ajudar, isso é bom pois o lugar fica mais ventilado e posso sentir as gotas da chuva, rsrs. Entretanto não podemos esquecer que os críticos de plantão, pois se não faço nenhuma autocrítica me chamam de orgulhoso, arrogante, narcisista e quando as faço certamente falarão que estou deprimido, fingindo ser modesto, ou querendo chamar atenção (nossa, agora está parecendo mania de perseguição!). E antes que eu me esqueça, escrevi “cem” intencionalmente, só para você ter a chance de rir novamente, mas agora foi um falso erro. Continuando com as criticas esse texto está muito sem assunto pelo jeito logo começarei a colocar trechos do hino nacional, ou de algum clube de futebol. Ou dizer que alguém está vendendo não sei o que, em um local que desconheço por um preço que não imagino qual seja! Oh! Que dramático! Vou parar por aqui pois já estamos muito além da falta de imaginação. Para terminar vou falar sobre a imagem que coloquei aqui, sei que não tem nada a ver com o texto, mas a imagem tem um outro erro, foi uma das minhas primeiras montagens em Photoshop, mas como vocês podem notar as nuvens ficaram atrás da Terra, que mancada, mas adoro essa imagem mesmo assim. Abraços a todos!

6 comentários:

  1. poxa
    eu sou a pessoa que mais me critica
    eu leio e releio o que escrevo
    vejo e revejo se tem erros
    e pior: acho tudo uma grande bosta!
    mas a cara de pau é tão grande, que eu posto
    e pior: tem gente que gosta!!!
    isso que eu não entendo...mas até gosto...
    engraçado como por mais que eu ache um texto uma bosta, tem gente que acha pérolas no meio dos meus porcos posts...
    kkkkkkkkkkkkkkkkk
    adorei seu blog
    vc escrece de uma forma bem particular
    dei risada lendo vc de auto-criticando...
    vou voltar mais vezes...
    :D

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    NOvamente aqui, e addorei o seu post!

    Eh verdade msm, além das pesoas verem só os defeitos dos outros, tem gentxi qui excrevi axim!
    hauihiuahaiuhaiua


    bjao

    ResponderExcluir
  3. Oi fabiano, tudo bem? Desculpe pela demora. É que o calor que estava por aqui era insuportável, não conseguia ficar nem 10 minutos na net... mas agora deu uma chuviscada e melhorou!
    Mto bom esse seu texto, parabéns.
    Beijocas.

    ResponderExcluir
  4. Ficou mto legal a montagem, tipo assim, a Terra nascendo nela mesma!! Heheheh!!!
    Rafa.

    ResponderExcluir
  5. E daí?? Eu critico. Critico mesmo. Critico tudo. Critico todos. E me critico mais que tudo.
    Criticar não é um defeito, é um hobby!!
    =DD

    ResponderExcluir
  6. Quando apontamos um dedo, outros três dedos são apontados pra gente....
    não se esqueça ;)

    ResponderExcluir

Comente ! ! !
Fale sua opinião sobre o texto que acabou de ler